O QUE É E PARA QUE SERVE A WEBOMETRIA

Webometria (Webometrics)

  • Nova àrea de interesse dentro da informetria;
  • Também conhecida por “cybermetics” e “internetometrics”.
  • Segundo Almind & Ingwersen, a webometria conciste na aplicação de métodos informétricos à Word Wide Web.

Medições:

  • Frequência de distribuição de páginas no cyberespaço.
  • Análise comparativa da presença dos diversos países na rede, das proporções das páginas pessoais, comerciais e institucionais.
  • Medição em tempo diferente para comparação de crescimento.
  • Tamanho médio de uma página expresso em bytes, o número médio de links e a densidade média por link;
  • Citações entre páginas, conhecidas como links, hyperlinks ou weblinks;

Instrumentos:

  • Motores de Busca (Google, Yahoo, etc…)- Facilitam as tarefas de quantificação e avaliação dos fluxos de intercâmbio de dados e informação na web;

Indicadores de interesse:

  • Tamanho dos sites: mede a quantidade de páginas que determinado site possui na web, seu tamanho é estabelecido através da soma de todas as páginas que fazem parte de um mesmo domínio. (VANTI VITULLO, 2007);
  • Visibilidade: indica como determinado site é conectado ou “citado” pela rede através dos inlinks de domínios de outras instituições, ou seja, relaciona a quantidade de páginas de outras instituições que linkam para o site analisado. (WEBOMETRICS, 2009);
  • Fator de impacto web:( Web Impact Factor- WIF)- Serve para medir e comparar a atratividade de sites da web, baseando-se na soma do número de páginas que levam a um determinado site (visibilidade), dividido pelo logaritmo do número de páginas deste site (tamanho) (SILVA; VANTI VITULLO; COSTA, 2010)
  • Luminosidade: analisa o número de links externos que um site apresenta, apontando para outros sites ou URLs, ou seja, verifica como o site analisado aponta o resto da web, indicando o seu grau de conectividade. (RODRÍGUEZ, 2006);
  • Densidade da rede: analisa as redes sociais na web, de forma a mostrar o quanto uma população se relaciona entre si. Para tanto, torna-se imperativo estabelecer a população que deseja estudar (“nós”) dentro da web e, após, identificar todas as relações (links) existentes entre estes “nós”. Contudo, dividi-se o número de relações (links) pela quantidade de “nós” da população estudada, multiplicando este mesmo número menos 1. (VANTI VITULLO, 2007).

Dificuldades:

  • Natureza dinâmica e em tempo real da Internet;
  • Enorme massa de dados não padronizados;
  • Inconsistência nos serviços e motores de busca;
Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s